domingo, 3 de abril de 2011

PONTE ENTRE BREU BRANCO E TUCURUÍ



Caminho difere de destino.

Esse movimento em Defesa de Tucuruí é uma iniciativa louvável, entretanto a sugestão da construção da ponte entre Breu Branco e Tucuruí,  para geração de empregos na cidade é um equivoco.

As eclusas de Tucuruí foram construídas, obrigação de quem outrora barrou o Rio, mas as eclusas por si não trazem desenvolvimento a Tucuruí, a não ser a bolha de desenvolvimento decorrente do movimento econômico ocorrido durante a construção, que já terminou.
Se Tucuruí não oferecer  infra-estrutura suficiente para abrigar investimentos, as eclusas não passarão de um caminho e nada ou muito pouco deixarão para Tucuruí.

Da mesma forma a Ponte Breu Branco Tucuruí, é um caminho e se Tucuruí não ofertar um mínimo de infra-estrutura para abrigar investimentos
A ponte,  se existir, o que não acredito, continuará sendo um mero caminho.

Existem no país dezenas de Hidrelétricas que são estradas, estradas dez vezes mais movimentadas que a travessia Breu Branco, Tucuruí, operando há décadas e nada de extraordinário aconteceu ao mesmo tempo em que não se falam em pontes para substituir a travessia, especialmente as Usinas Hidreletricas do Rio Paraná que dividem os Estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, dão acesso a Capital de Mato Grosso do Sul, Campo Grande, cujo movimento rodoviário é intenso.

Os únicos beneficiários desse devaneio são os empreiteiros da construção civil que lucrariam com o investimento, aproveitariam a estrutura montada para a construção da Hidrelétrica e Eclusas.
Atualmente, com novas técnicas de engenharia, o uso extensivo de mão de obra num empreendimento como esse é muito menor que foi quando construíram a primeira etapa da Usina de Tucuruí, portanto a tese de que haveriam muitos empregos é falaciosa e limitada.
O resultado econômico da construção da ponte estaria alocado muito mais para a o Bairro de Vila Olímpia em São Paulo do que para Tucuruí.

Outro grupo de interessados são os executivos da estatal que provavelmente supervisionaria a construção da tal ponte, essas pessoas não conseguem ficar sem uma medição para analisar e aprovar, com todas as conseqüências que isso proporciona.

A idéia da construção da ponte sensibilizou pessoas de boa intenção que embarcaram no loby da construtora e estão recebendo apoio de políticos estabelecidos e com mandato porque político não pode ver um aglomerado que sua reação automática e medular é dizer “apoio”.
Mesmo sabendo que a ponte não existirá e se existir é absolutamente desnecessária.

O Brasil não é um país onde sobram recursos para investimento.

Ajudar Tucuruí, seria pugnar por investimentos em infra-estrutura tais como esgoto sanitário, escolas, urbanização, comunicações (banda larga eficiente), que possam atrair investimentos  perenes para a cidade e Tucuruí possa deixar de ser caminho para ser destino. 

4 comentários:

Anônimo disse...

Análise pertinente e correta...Parece-nos mais um dos movimentos idealizados com intuito eleitoral, com fins de se apropriar de obras já pensadas e que serão executadas independente da mobilização social.

Anônimo disse...

amigo nao importa se ia trazer fortuna ou nao mais iria trazer emprego pouco mais ai ou vai ja se ve oque vc pemca .pois tucurui tem perdido muito para jiral e agora bele monte tando emprego ta bom. estou erradA ??? JRAN B. BRANCO

Osorio Pacheco disse...

Obrigado pela Visita, Jran de Breu Branco.
Vamos esclarecer:
Tucuruí tem sido um canteiro de obras há mais de 100 anos.
Foi canteiro de obras da construção da Estrada de Ferro que iniciou no Império e terminou por volta de 1960, com várias interrupções.
Foi canteiro de obras de apoio a construção da Rodovia TRANSAMAZONICA a partir de 1967.
Foi canteiro de Obras da Hidrelétrica e das Eclusas a partir de 1974 até 2010.
Com a evolução das técnicas de construção a geração de empregos hoje é muito menor que foi nessas obras mencionadas.

Mas pela impropriedade, pela falta de necessidade, essa ponte não vai acontecer, isso que estão fazendo é uma forma de promoção dessas pessoas que embarcaram nessa campanha, ou porque pretendem ser candidatas a alguma coisa e precisam de uma bandeira, ou porque estão fazendo loby a mando da empreiteira.
Insistir nessa sandisse é perda de tempo.

Se direcionarmos nossos esforços para dotar Tucuruí de infraestrutura capaz de abrigar outros empreendimentos, ganharemos mais.

Se efetivar a obra de Belo Monte, haverá uma migração de um contingente populacional que está sobrando em Tucuruí, que não tem qualificação, que não tem ocupação, que vive uma vida sub- humana, que pouco soma no mercado consumidor porque não tem renda e pesa e muito no social do município.
Pessoal que veio para trabalhar nas Eclusas, muitos nem trabalharam e não vão embora porque não têm para onde ir.
Breu Branco padece do mesmo problema.

Belo Monte será para Tucuruí a oportunidade de colocar a cidade do tamanho que ela pode ser, proporcional a infra-estrutura que tem.
Fica faltando somente o aprimoramento dos serviços, Água, Coleta e tratamento de esgoto,
Melhores escolas, mais universidades, melhor comunicação e Estradas.
Com essas estrutura, pouca violência e planejamento e município poderá atrair investimento que poderão ofertar empregos definitivos, com muito melhor qualidade de vida.

FLAVIO DIAS DE LIMA disse...

È isso mesmo